Indústria

Você

Acessar

Notícias

Sistema FIEMA 10/11/2017 - 12:39hs

Cervejarias artesanais são tema de palestras na Arena da Indústria

No segundo dia da Expo Indústria Maranhão, no Multicenter Sebrae, experiência de empresários no segmento de cervejas artesanais chamou a atenção do público

Coordenadoria de Comunicação e Eventos

Veruska Oliveira/Comunicação/FIEMA
Imagem ampliada José Felipe Carneiro, da Cervejaria Wäls, incentivou o público de cervejeiros maranhenses, a traçar grandes metas para suas empresas

São Luís – O entusiasmo de José Felipe Carneiro ao relatar sua experiência à frente da Cervejaria Wäls (MG), cujo rótulo recebeu a medalha de ouro na Copa do Mundo da Cerveja – World Beer Awards 2017, contagiou o público que compareceu à Arena da Indústria, no segundo dia da Expo Indústria Maranhão, realizada pelo Sistema FIEMA, no Multicenter Sebrae. O presidente da FIEMA, Edilson Baldez, cumprimentou José Felipe, ao final da palestra, e entregou um livro como recordação de sua participação nesta segunda edição da feira.

“É com grande satisfação que estamos recebendo o Felipe, em parceria com o Sindibebidas, nesse grande evento. Essa segunda versão da nossa feira já é um sucesso. Queremos agradecer o Felipe por essa palestra. O Maranhão agradece aos nossos palestrantes porque a gente aprende todo dia e a gente precisa continuar aprendendo”, afirmou o presidente da FIEMA, Edilson Baldez. 

A palestra Crescimento Disruptivo: Caso da Cervejaria Artesanal Nº 1 do Mundo foi marcada por um clima de bastante descontração. O empresário de Minas Gerais usou um tom motivador para contar sua trajetória, inspirada nas experiências do avô, no ramo da panificação, e com o pai, na fabricação de cervejas. Ao lado do irmão, José Felipe vislumbrou a cervejaria como um negócio que poderia render bons frutos, e hoje sua empresa é sócia da Ambev.

Ele destacou as dificuldades no início de sua jornada empresarial, mas ressaltou que a persistência foi fundamental para o seu sucesso. “A gente viu que esse mercado não era tão simples assim, tinha muitos desafios. Tudo veio dando muito errado no começo. O sucesso da nossa cervejaria é resultado de um trabalho muito duro. Acredito que o mais importante de tudo é ter metas ousadas, porque metas ousadas movem a gente. Se hoje temos um sonho é mostrar que é possível alcançar o seu sonho”, enfatizou.

José Felipe incentivou o público, composto em parte por alguns cervejeiros maranhenses, a traçar grandes metas para suas empresas, vislumbrando, inclusive, premiações internacionais.  “Quando começamos a entrar nas competições de cervejas do

Veruska Oliveira/Comunicação/FIEMA
Imagem ampliada Um dos pioneiros da cervejaria artesanal no Brasil, Marco Falcone, de Minas Gerais, palestrou na Arena da Indústria, no segundo dia da feira

mundo, a gente queria ganhar. Até que, no ano passado, nós conquistamos a medalha de ouro na World Beer Awards 2017, que acontece a cada dois anos nos Estados Unidos. Esse prazer de ganhar nos motiva, porque a nossa responsabilidade aumenta. E nosso objetivo é continuar disseminando a cultura cervejeira”, destacou.

Antes da palestra de José Felipe Carneiro, o cervejeiro Marco Falcone, da Falke Bier, também de Minas Gerais, falou sobre o Pioneirismo da Cerveja Artesanal em seu estado. Ele enfatizou a necessidade de incentivar uma cultura cervejeira como fator fundamental para garantir o sucesso do seu negócio. “Depois de quatro anos estudando, fazendo estágio em várias cervejarias europeias, em 2003, fizemos uma micro cervejaria. Eu entrei para trazer as cervejas que estavam explodindo na Europa e nos Estados Unidos e isso causou uma revolução. Com quatro meses, as vendas começaram a diminuir. E aí percebemos que o lance era formar a cultura da cerveja artesanal, formar outros cervejeiros”, contou Marco Falcone, que vislumbrou boas possibilidades para os cervejeiros maranhenses. “Esperamos que o Maranhão possa desenvolver o seu mercado cervejeiro, com o apoio da FIEMA e do Sindibebidas”, reforçou o superintendente da FIEMA, Albertino Leal.  

1472 notícias | Mostrando de 13 a 18