Indústria

Você

Acessar

Notícias

FIEMA 14/05/2018 - 10:03hs

Governador Geraldo Alckmin disse que Brasil precisa destravar e desburocratizar a economia

Ex-governador do Estado de São Paulo e presidente nacional do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) falou para classe empresários

Coordenadoria de Comunicação e Eventos da FIEMA

Veruska Oliveira
Imagem ampliada Ex-governador de São Paulo falou sobre economia e a experiência de gestão de SP em encontro com empresários

SÃO LUÍS - O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin participou de um jantar na última sexta, 4 de maio, onde teve uma agenda com a classe empresarial de São Luís. Alckmin apresentou aos empresários alguns pontos que considera fundamental para que o Brasil possa de fato crescer, em um jantar no Vila Realle Buffet, no Calhau. A iniciativa de trazê-lo a São Luís partiu das entidades de classe empresariais Associação Comercial do Maranhão (ACM), Câmara dos Dirigentes Lojistas de São Luís (CDL), Federação do Comércio do Maranhão (FECOMÉRCIO) e Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA).

Alckmin é membro do PSDB desde a fundação do partido, em 1988. É médico e político atuante desde 1972. Foi vice-governador entre 1995 e 2001 e eleito governador de São Paulo em 2002, 2010 e 2014 – nas duas últimas ocasiões, venceu a disputa em primeiro turno. Em 2006, foi o candidato do PSDB à Presidência da República. Antes de governar São Paulo, foi vereador, prefeito, deputado estadual e deputado federal. Fez parte da Assembleia Nacional Constituinte.

O encontro cumpriu o objetivo de apresentar aos empresários a gestão administrativa e  econômica do ex-governador e sugestões do setor. Alckmin enfatizou na ocasião, a importância desse encontro com a classe empresarial. “Esse momento é importante, agradeço a classe produtora pela oportunidade. A saída para o Brasil passa por investimentos e a classe empresarial é que movimenta esse país. Vim também ouvir as propostas dos empresários”, destacou Alckmin.

“Estamos começando uma caminhada cívica. Acho que é hora de ouvir. Quem ouve mais erra menos. Na década de 70, o Brasil crescia em media 12% e nos últimos anos estagnou-se, passou a ter um crescimento pequeno. Os governos perderam a capacidade de investimento, antes eram indutores do desenvolvimento. Temos uma economia fechada, os países que crescem são mais abertos, temos um país caro, e que perdeu a competitividade, voltado ao mercado interno. Tivemos uma queda brutal na economia, desonerando impostos e  aumentando os gastos públicos, além de recessão nos últimos três anos com 13 milhões de desempregados”, enfatizou o ex-governador.

Além disso, durante a palestra o ex-governador defendeu o crescimento para solucionar esse cenário. “Temos que voltar a crescer. Precisamos de investimento, se não tiver não cresce. O governo não tem dinheiro, a margem é estreita. Tem que trazer o setor privado para investir, inclusive o setor privado de fora, porque o brasileiro depois da crise se descapitalizou. É o melhor momento da economia mundial. Eu vejo que o caminho é a confiança e unir o Brasil. Precisamos destravar e desburocratizar a economia com a reforma tributária e valorizar a produção, a renda e o emprego”, enfatizou.

DESENVOLVIMENTO REGIONAL – No momento das perguntas ao ex-governador, o presidente da FIEMA, Edilson Baldez, fez uma breve reflexão sobre o que fazer para diminuir as diferenças regionais que travam o desenvolvimento de Estados com o Maranhão. “O nosso Estado tem potencial. Exporta gente qualificada. Há muito tempo falamos que precisamos crescer, mas ainda somos um dos Estados menos desenvolvidos do país. Onde está o defeito do nosso Estado? O que falta para isso? E não encontramos resposta. Temos energia, água e empresários competentes e lutadores e pergunto onde está o defeito”, enfatizou Baldez.

Marcelino Araújo, vice-presidente da Fecomércio, destacou a experiência na administração pública do ex-governador. “Creio que essa palestra foi importante pela própria experiência do Alckmin na vida pública. Acho que as entidades e os empresários ganharam muito com a vinda dele aqui em São Luís!”.

Veruska Oliveira
Imagem ampliada Líderes empresariais maranhenses fizeram perguntas ao ex-governador

 Fabio Ribeiro, presidente da CDL, destacou a participação de Alckimin por falar sobre sua gestão em São Paulo. “Já trouxemos o Dória falando da cidade de São Paulo e agora trouxemos o ex-governador falando sobre essa gestão e o que pode ser aplicada em nosso Estado”.

REPRESENTATIVIDADE - De acordo com o presidente da Associação Comercial do Maranhão, Felipe Mussalém. “As entidades empresariais hoje experimentam uma união e isso fortalece a classe empresarial. Isso faz com que a gente inclua o Maranhão nesse cenário de discussão politica. Até para entender quais são as ideias desses grandes líderes políticos nessa pauta nacional. Assim inserimos o Maranhão nesse cenário”, finalizou Mussalém.

Depois de sua apresentação, Alckmin respondeu a uma série de perguntas dos líderes empresarias promotores do evento e dos empresários maranhenses presentes e concluiu dizendo o que o Brasil precisa. “O país precisa ter um crescimento sustentável e diminuir as desigualdades regionais. Não podemos continuar vivendo essa guerra fiscal entre os Estados!”, finalizou o ex-governador.

1544 notícias | Mostrando de 7 a 12