Notícias



​Cachaça e tiquira do Maranhão fazem sucesso na Feirinha de São Luís


Data: 5 de março de 2018
Crédito: Coordenadoria de Comunicação e Eventos do Sistema FIEMA
Fotos: Veruska Oliveira/Comunicação/FIEMA

SÃO LUÍS – Os produtores maranhenses de cachaça e tiquira das cidades de Balsas, Santo Amaro, Sucupira do Riachão e Vargem Grande, iniciaram no último domingo (4/3), na Praça Benedito Leite, a exposição e comercialização de seus produtos durante a Feirinha São Luís, promovida pela Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento – Semapa.

 

A ação na Feirinha São Luís, é uma iniciativa do CARTIMA - Projeto Cachaça Artesanal e Tiquira do Maranhão, numa parceria firmada entre a Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), o Sindicato das Indústrias de Bebidas, Refrigerantes, Água Mineral e Aguardente do Estado Maranhão (Sindibebidas), a Secretaria de Estado de Indústria e Comércio (SEINC), e a Feirinha São Luís (Prefeitura de São Luís, por meio da Semapa).

 

A meta da ação é apoiar as marcas maranhenses registradas de cachaças e tiquira, que estarão expostas numa tenda estruturada para atender aos consumidores que queiram conhecer, comprar e apreciar as bebidas e os drinks preparados com elas. Os produtos serão comercializados, gerando oportunidade de negócios e visibilidade para as marcas.

 

Visibilidade que foi um dos pontos ressaltados pelo policial militar e apreciador de cachaça, Luis Fernanda Silva. “Eu tomei pela primeira vez, gostei muito, é suave e é daqui do Maranhão. Vim para prestigiar e acabei levando uma garrafa. Eu sou um apreciador de bebidas destiladas. Acho que falta um pouco mais de divulgação, porque a gente tem muita coisa boa que é produzida no Estado e não conhecemos e acabamos comprando coisas de fora e são produtos de qualidade”.

 

Além dos maranhenses, a cachaça e a tiquira também fizeram sucesso com os turistas estrangeiros que visitam São Luís. É o caso da design mexicana Zida Gonzalez que tomou cachaça pela primeira vez. “Muito forte. É nossa primeira vez no Maranhão. Nunca tinha provado cachaça, mas gostei”, ressaltou a simpática designer.

 

“Gosto de caipirinha. Essa cachaça tem um sabor diferente, bom. É legal porque incentiva tanto à gente a comprar produtos maranhenses, quanto os produtores”, destacou a estudante Lilian Silva, que comprou uma caipirinha feita com uma das cachaças.

 

O Professor Bruni Fernando, achou interessante a iniciativa. “É algo da nossa terra, sou um apreciador de cachaça e acho que isso é uma forma de divulgar e incentivar a produção local.

 

“O CARTIMA quer criar oportunidades para que as marcas maranhenses desenvolvam o mercado e visibilidade da produção local, quem tem um potencial econômico pujante. Temos produtos de qualidade e precisamos unir forças para colocar o Maranhão nesse cenário. Vale ressaltar que as cachaças e a tiquira produzida no Estado já são reconhecidos e até já receberam prêmios nacionais. Hoje, nos supermercados e nas lojas de conveniência do Maranhão, encontramos marcas do Brasil inteiro e poucas daqui. Então, nossa meta máxima é construir as marcas maranhenses. Queremos ter 20 marcas até 2019. Este não é um número mágico, mas é o suficiente para termos uma diversidade para fazermos promoções no mercado, participarmos de feiras e exposições, porque é isso que incentiva o consumo", afirmou a gestora do projeto Cartima, Oísina Piorski Aragão que ressaltou que ainda é grande a informalidade oriunda da desorganização e desinformação da maioria dos produtores de bebidas destiladas (cachaça e tiquira) no Maranhão.

 

“Acho importante que os produtores de cachaça e tiquira tenham esse espaço na feirinha para poder oferecer esses produtos de qualidade que temos aqui no Maranhão. Estão de parabéns todos os envolvidos por esse projeto e a feirinha está à disposição para que possamos comercializar esses produtos genuinamente maranhenses”, ressaltou o secretário Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa), Ivaldo Rodrigues.

 

“Essa iniciativa é fundamental para nós produtores, porque é mais um ambiente em que conseguimos apresentar nosso produto para a sociedade e consumidores. Aqui é uma feira que tem sido sucesso na cidade, com grande fluxo de pessoas de dentro e fora do Estado e para nós que produzimos uma cachaça e uma tiquira registrada estamos apresentando esse produto do Estado que pode ser consumido, de qualidade e que concorre de igual com produtos de Minas Gerais que são referência no Estado”, destacou o empresário João Fortes, produtor da cachaça Capotira, que chegou a produzir 20 mil litros de cachaça em 2017.

 

PROJETO CARTIMA – Lançado no final de 2017, o projeto Cartima reuniu órgãos de governo, entidades financeiras e instituições de pesquisa, para aperfeiçoar os métodos de produção, a formação de mão de obra, a obtenção de financiamento e a realização de pesquisas e regulamentos para o setor. Uma das metas do projeto desenvolvido pelo Sindibebidas é  pleitear a obtenção do título de patrimônio cultural, material e imaterial para a cachaça e a tiquira maranhenses. O projeto possui quatro eixos de atuação: Agricultura e Meio Ambiente, Indústria e Infraestrutura, Financeiro e Gestão e Mercado. A previsão é que a iniciativa se estenda até janeiro de 2020.

 

Atualmente, os municípios que mais produzem estão no sertão maranhense, dentre eles, Colinas, Pastos Bons, São Domingos do Azeitão, São João dos Patos, Sucupira do Norte e Sucupira do Riachão. A produção total das bebidas no estado chega a seis milhões de litros. Já a Tiquira (destilada da mandioca) tem uma fábrica na região de Santo Amaro.

Use Ctrl + nº da tecla

Ctrl + 1 (menu) Ctrl + 2 (conteúdo) Ctrl+ 3 (busca) Ctrl + 4 (Rodapé) Ctrl + 5 (mapa) Ctrl + 0 (acessibilidade)



Original

Contraste