Notícias



Ação articulada proporciona soluções à indústria maranhense


Data: 30 de maio de 2018
Crédito: Coordenadoria de Comunicação e Eventos do Sistema FIEMA
Fotos: Divulgação/Elétrica Visão

SÃO LUÍS – As empresas maranhenses estão cada vez mais se utilizando da máxima “a união faz a força” para propiciar-lhes novos negócios e oportunidades. Driblar a crise e reinventar-se com mais competitividade e inovação são palavras de ordem para quem quer se manter no mercado, e isso vale para empresas de todos os portes e setores. Em meio às mudanças, com reformas de legislações, novas exigências tecnológicas e concorrência acirrada, indústrias buscam associar-se a entidades que as representem a fim de posicionarem-se um passo a frente na conquista de oportunidades e enfrentamento dos gargalos.

O associativismo nada mais é que uma alternativa necessária de viabilização das atividades econômicas, possibilitando um caminho efetivo para participar do mercado em melhores condições de concorrência. No ambiente industrial não é diferente. O empresário maranhense Franklin Nazareno, da empresa Elétrica Visão, que faz manutenção de motores elétricos para grandes e pequenas indústrias há 25 anos no Maranhão, destaca que estar atualizado e compreender as mudanças econômicas e políticas são aspectos fundamentais para manter a estabilidade e sustentabilidade dos negócios, o que é possível, segundo ele, também com os recursos que as entidades que representam o setor oferecem.

“O associativismo ajuda a te manter informado, com palestras e eventos sobre temas atuais, que te fazem entender os movimentos do mercado. O empresário não fica pensando sozinho, isolado, e sim compartilha informações com outras empresas, o que possibilita saber antecipadamente das questões que vão impactar sua empresa e te proporciona tempo para ir se adequando a elas”.

CONJUNTURA – Um dos exemplos citados pelo empresário é a reforma trabalhista, que impacta diretamente negócios em todos os segmentos. Sobre o tema, o industrial já participou de diversos seminários, eventos técnicos e palestras, oportunizados pela entidade que representa sua empresa. “Nós, das indústrias de metalmecânica, por exemplo, estamos muito bem assessorados nesse aspecto, graças às iniciativas do sindicato e da federação das indústrias aqui do Estado. Agora, imagina quem não tem acesso a essas informações, o empresário fica atirando no escuro, e só sabe das mudanças depois que elas acontecem”.

Quem reforça a importância de atuar em grupo para superação de dificuldades no meio industrial é a gerente da construtora Engeplan Engenharia, Roseane Cavalcante. Apesar dos impactos que o setor da construção civil normalmente sente nos primeiros meses do ano, no Maranhão, a empresa não se sentiu fisgada pelo mau tempo e aproveitou as oportunidades geradas para divulgar suas unidades residenciais e cadastrar mais clientes.

“Trabalhamos sem focar em crise e o sindicato nos ajuda muito, sempre traz muitas novidades. Participamos sempre das ações e iniciativas promovidas pela entidade que nos representa.”, ressaltou. Segundo Roseane, desconto em cursos, eventos e seminários, participação em feirões de imóveis, acesso à assessoria jurídica, entre outros, são alguns dos benefícios que as empresas podem usufruir via sindicato.

Segundo dados do Sistema de Gestão Industrial, 74% das indústrias maranhenses são sindicalizadas, o que representa aproximadamente 6.900 empresas aptas a acessar serviços a preços diferenciados do mercado, como cursos técnicos e gerenciais promovidos pelas entidades da indústria, assim como uso de laboratórios de ensaios, disponibilidade de auditório e sala de reunião, representatividade e segurança administrativa e jurídica, além dos informativos mensais com assuntos de interesse do setor.

Além disso, via entidades, as empresas ainda têm disponíveis soluções em educação básica e continuada, em segurança e saúde no trabalho, em responsabilidade corporativa e fatores psicossociais, assim como educação profissional e inovação tecnológica, com atendimento em todo o Maranhão por unidades móveis.

No Brasil, na área industrial, existem 1.270 sindicatos empresarias que representam cerca de 700.000 empresas industriais em todo país. Conhecer a percepção e expectativas das indústrias representadas é fundamental para que cada sindicato possa definir suas estratégias. No Maranhão, o número é de 29 sindicatos patronais.

Use Ctrl + nº da tecla

Ctrl + 1 (menu) Ctrl + 2 (conteúdo) Ctrl+ 3 (busca) Ctrl + 4 (Rodapé) Ctrl + 5 (mapa) Ctrl + 0 (acessibilidade)



Original

Contraste