Notícias



FIEMA entrega documento a ministro de Infraestrutura pedindo providências para BR 135


Data: 8 de março de 2019
Crédito: Coordenadoria de Comunicação e Eventos do Sistema FIEMA
Fotos: Veruska Oliveira/Cocev/FIEMA

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), Edilson Baldez das Neves, acompanhou a vistoria técnica realizada pelo ministro de Infraestrutura do governo federal, Tarcísio Gomes de Freitas, à BR 135, nesta sexta-feira, 8 de março. A rodovia é a principal saída da cidade de São Luís, capital do Estado, e essencial para a circulação de cargas das indústrias e do comércio do Maranhão. Na oportunidade, Baldez, representando o setor industrial, entregou documento ao ministro, sinalizando os entraves para o desenvolvimento econômico causados pelo atraso nas obras de duplicação da via e destacou, por exemplo, que o trecho que vai da Estiva a Bacabeira foi liberado para uso em janeiro de 2018 e, apenas um ano depois, já se encontra com buracos, fissuras e depressões, o que vem causando problemas aos usuários e danos à economia do Maranhão.

“A obra de duplicação da BR 135 sempre esteve em pauta na Casa da Indústria. Por meio do Conselho Temático de Infraestrutura e Obras da entidade, já pedimos tratativas junto ao DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte, junto ao governo federal, e pedimos apoio à bancada maranhense em Brasília, que está mobilizada em encontrar soluções para o problema”.

O documento, que no início de fevereiro também foi entregue à bancada maranhense, pede a intervenção junto ao DNIT no sentido de que este determine ao Consórcio Serveng - Aterpa, detentor do Contrato nº UT 154.00620/2012 de duplicação da rodovia BR-135 (trecho Estiva-Bacabeira) a imediata recuperação da importante via, entregue em janeiro e já com problemas.

O ofício frisa, ainda, que os trabalhos de obras na BR estão ainda condicionados à execução dos contratos nº 387/17, referente ao Lote 02, trecho Bacabeira – Outeiro (Empresa Edeconsil) e nº 005/17, Lote 093, trecho Outeiro – Miranda do Norte (Empresa HITECH), os quais estão na Fundação Palmares, por conta de quilombos que estão utilizando a faixa de domínio da referida estrada, com prejuízos para o Maranhão. No total, cerca de R$ 500 milhões já foram gastos na duplicação.

O documento foi entregue em reunião na Superintendência Regional do DNIT, na presença de deputados federais maranhenses e do vice-governador do Estado do Maranhão, Carlos Brandão. “A bancada federal nos trouxe os problemas na obra de duplicação da BR-135 e estivemos no local para ver de perto o que está acontecendo”, ressaltou Tarcísio Freitas. O ministro se comprometeu em tomar providências para que a partir de maio, quando diminuir a intensidade das chuvas, o trecho seja reparado pela empresa. Caso contrário, o governo federal acionará as medidas legais cabíveis para resolver a questão e para que a obra seja finalizada, o que pode significar, inclusive, segundo o ministro, a contratação de uma nova empresa ainda esse ano.

Use Ctrl + nº da tecla

Ctrl + 1 (menu) Ctrl + 2 (conteúdo) Ctrl+ 3 (busca) Ctrl + 4 (Rodapé) Ctrl + 5 (mapa) Ctrl + 0 (acessibilidade)



Original

Contraste