Notícias



Na FIEMA, comitiva de empresários portugueses demonstra interesse em comercializar no Maranhão


Data: 22 de maio de 2019
Crédito: Cocev/ Fiema São Luís
Fotos: Divulgação
Fonte da notícia:Cocev/ Fiema São Luís

SÃO LUÍS – Os bordados e crochês produzidos por rendeiras de municípios como Pastos Bons, São João dos Patos e Raposa chamaram atenção de uma empresa portuguesa do setor têxtil, que tem interesse em entrar no mercado brasileiro pelas portas do estado do Maranhão. Na segunda-feira, 15 de maio, os empresários Paulo Fernandes e Renato Costa, gerentes da Limol - fabricante de fios de algodão de Guimarães, Portugal - foram recebidos, na Casa da Indústria Albano Franco, em São Luís, pela vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA) e presidente do Sindicato das Indústrias de Malharia e de Confecções de Roupas em geral do Estado do Maranhão (Sindvest), Ana Rute Mendonça, pelo vice-presidente da FIEMA e presidente do Conselho Temático de Micro e Pequenas Empresas, Celso Gonçalo, e pelo superintendente da entidade, Diogo Lima, para apresentar suas intenções de negócio.

A proposta dos portugueses, que produzem linhas para crochê, é fazer com o Estado do Maranhão, um intercâmbio comercial, mas também cultural, com foco no artesanato das rendeiras e profissionais do setor têxtil, trazendo os fios portugueses para que sejam utilizados como matéria-prima pelas artesãs maranhenses.

“Pensamos em um projeto que trará muito benefícios para ambas as partes. É uma parceria promissora. O Maranhão tem um mercado muito focado no nosso produto, com os bordados e crochês produzidos aqui, e pensamos em um intercâmbio cultural também, levar essa produção para mostrar em Portugal, em uma exposição municipal”, revelou Paulo Fernandes, gerente geral da Limol. O grupo está visitando os municípios para conhecer o artesanato maranhense, conversar com as artesãs e costureiras.

 “Tanto a FIEMA como outras instituições, como Sebrae, têm todo interesse em contribuir para desenvolvimento do setor têxtil e de vestuário do nosso estado. Estamos dando apoio à empresa nessas visitas aos municípios maranhenses, que são referência nesse crochê com linha, mostrando o potencial do Estado no segmento”, afirmou Ana Rute Mendonça, que representou o presidente da FIEMA, Edilson Baldez, na reunião. A presidente do Sindvest está, nesta terça-feira, 16, no município maranhense de Guimarães, com os gerentes da Limol, apresentando a eles o artesanato produzido na região.

GRIFE – A estilista maranhense, Lisyane Arize, criadora de uma grife já vendida na França e que tem roupas com base em bordado e crochê, também participou da reunião na FIEMA. Ela, que também integra a diretoria do Sindvest, apresentou um vestido produzido no Maranhão e disse que pretende utilizar os fios da empresa portuguesa para testar em uma peça produzida pelas rendeiras maranhenses.

Darci Fontes, consultor da Limol para o Brasil, e Francisco Brandão, consultor internacional da empresa portuguesa, também estiveram presentes à reunião.

Use Ctrl + nº da tecla

Ctrl + 1 (menu) Ctrl + 2 (conteúdo) Ctrl+ 3 (busca) Ctrl + 4 (Rodapé) Ctrl + 5 (mapa) Ctrl + 0 (acessibilidade)



Original

Contraste