Notícias



Oportunidades e tendências na indústria criativa brasileira é destaque na Expo Indústria 2019


Data: 8 de novembro de 2019
Crédito: Coordenadoria de Comunicação e Eventos do Sistema FIEMA
Fotos: Veruska Oliveira/Cocev/FIEMA

SÃO LUÍS – As indústrias criativas caracterizam-se por terem origem na criatividade, competência e talentos individuais e o potencial para criarem riqueza e emprego gerando e explorando a propriedade intelectual. Este é conceito explorado dentro de um contexto cada dia mais atual e evidente. Discutir os caminhos da nova era industrial, com ênfase na Indústria da Transformação, são um dos pilares da Expo Indústria 2019.

Nesta quinta-feira, 7, integrando a programação do segundo dia de feira, a coordenadora da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro, (Firjan), Joana Siqueira, conduziu a palestra ‘Oportunidades e Tendências da Indústria Criativa Brasileira’. Joana apresentou dados referentes ao cenário brasileiro, balizados em pesquisas da Firjan, sobre como a indústria criativa vem alçando voos altos.

“A economia criativa é o negócio das ideias – o meio através do qual, novas ideias e invenções são comercializadas. O trabalho intelectual criativo que cria valor econômico. A indústria criativa conduz a um novo processo de negócios. São novas formas de trabalho, que muda o comportamento do consumidor, crescendo assim a importância da indicação e fator social. Temos dados que a cada cinco profissionais criativos, um está na Indústria de Transformação, um está na Indústria de Transformação, totalizando um número de 181,5 mil profissionais em todo o país”, salientou.

O papel da indústria criativa permeia todas as atividades e não é exclusivo dos ditos setores criativos - consumo, mídia, cultura e tecnologia. No Brasil, dados da Firjan de 2017, apontam estatísticas que dentre os profissionais criativos, 25,5% estão na economia criativa, 2,6% na Indústria da Transformação e 61,8% em outros setores. “Outra característica deste profissional é que no mercado, eles se mantêm muito valorizados, ganhando até duas vezes mais que a remuneração média no Brasil”, aponta Siqueira.

Para o aluno de Sistema da Informação, Pedro Lopes, refletir sobre esses dados e se preparar para o futuro é primordial para o bom êxito profissional. “O mundo vive hoje um cenário de mudança constante, precisamos viabilizar conhecimento, nos atualizar. Sermos profissionais capazes de integrar um mercado cada vez mais competitivo”, declarou.

Realizada pelo Sistema FIEMA, com correalização do Governo do Estado e Sebrae-MA, a Expo Indústria 2019 se consolida como a maior feira multissetorial do Nordeste, e estima receber, até o dia 8 de novembro, um público de 15 mil pessoas. Este ano, a feira atenta aos avanços e tendências da Nova Era da Indústria e desenvolve os pilares - Indústria Criativa, Indústria 4.0 e a Economia Digital e Infraestrutura: Logística e Energia. Em um espaço de 11.482 m², e uma programação repleta de atividades para receber o público.

A Expo Indústria 2019 tem como um dos objetivos promover um ambiente perfeito para a geração de novos negócios, apresentar as tendências e tudo que há de relevante no setor da indústria, e é uma realização do Sistema FIEMA, formado pela Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), Serviço Social da Indústria (SESI), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e Instituto Euvaldo Lodi (IEL). A feira conta com o patrocínio da Alumar, Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Caixa, Dom Bosco, Emap, Eneva, PDF, Suzano, UNDB, Vale e VLI.

Use Ctrl + nº da tecla

Ctrl + 1 (menu) Ctrl + 2 (conteúdo) Ctrl+ 3 (busca) Ctrl + 4 (Rodapé) Ctrl + 5 (mapa) Ctrl + 0 (acessibilidade)



Original

Contraste