Notícias



Encontro com contadores debate Bloco K na FIEMA


Data: 6 de dezembro de 2019
Fotos: Divulgação/Comunicação FIEMA
Fonte da notícia:Coordenadoria de Comunicação e Eventos do Sistema FIEMA (Cocev)

São Luís – Com a proposta de aproximar indústrias e contadores, aconteceu na noite da última quarta, 4 de dezembro, o Encontro com Contadores, promovido pela Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA) por meio do Programa de Desenvolvimento Associativo (PDA), gerenciado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), que estimula a capacitação no setor industrial, resultando em empresas e profissionais mais eficientes e estruturados para desenvolver suas atividades e visa fortalecer a representação sindical e a disseminação de informações e debate de temas estratégicos para empresas industriais.

O tema debatido foi o “Bloco K – Registro e Controle da Produção e Estoques”, ministrado pelo especialista em Controladoria pela Fundação Alvares Penteado (FECAP) e consultor da CNI, Niveson Garcia.

A ação recebeu contadores e empresários de São Luís para detalhar o Bloco K, dentro do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED), por meio do chamado Bloco K do Sped Fiscal. O Bloco K nada mais é que a substituição da emissão do Livro Registro de Controle da Produção e do Estoque da forma manual para a digital. A mudança proporcionará ao fisco um profundo controle da produção e do estoque das indústrias.

Durante sua explanação, o palestrante e consultor da CNI, Niveson Garcia, lembrou que essa é uma obrigação fiscal das indústrias de acordo com o código de atividade. “Esse registro está previsto no sistema público de escrituração digital, é antigo, portanto, não é nenhuma novidade, mas podia ser feito manualmente ou de uma maneira menos organizada do que o Bloco K prevê agora. A mudança afeta indústrias, empresas equiparadas as indústrias e o comércio atacadista. No cronograma que começou em 2017 e vai até 2022, funciona conforme o código de atividade, com as empresas entrando na obrigatoriedade de entrega eletronicamente”.

Ele detalhou ainda que o Bloco K tem como principal função registrar cada uma das ordens de produção dentro das indústrias. “Então, toda vez que a fábrica retira material do estoque e manda ao processo produtivo, tem que registrar e, também, a cada encerramento de produção, o produto que é obtido também tem que ser registrado, ele não trata de valores, só trata de quantidades e é feito de maneira eletrônica, portanto, precisarão de software. O Bloco K é uma obrigação que vai atingir todas as indústrias com um controle a mais de natureza fiscal”, avaliou Niveson Garcia. Ele orientou os participantes para o controle da produção e do estoque até o cruzamento de dados ao alcance do Fisco.

“A FIEMA tem como compromisso defender os interesses da indústria local, promover o processo de desenvolvimento e contribuir para o aperfeiçoamento empresarial, além de estimular o associativismo. E foi com o objetivo de cumprir esse papel que a FIEMA e a CNI realizaram esse encontro no intuito de orientar sobre as exigências da legislação”, afirmou ocoordenador do Programa de Desenvolvimento Associativo (PDA) da FIEMA, José Aboud.

Para o contador Thiago Ferreira, que possui um escritório de contabilidade e já atua no mercado há mais de 10 anos, o encontro foi muito esclarecedor. “Eventos como esse são excelentes porque mesmo acompanhando a legislação as dúvidas aparecem e, nada melhor, do que ter um profissional experiente de mercado para trocar informações.A FIEMA por meio dessas iniciativas sempre contempla empresários e as demais classes, e isso é muito importante, pois além de agregarmos conhecimento sem precisarmos nos deslocar da cidade, ainda traz um consultor com alta performance que abordou um conteúdo de forma esclarecedora e sucinta nos preparando para esse momento que se faz necessário no ambiente empresarial”.

A sócia-administradora da PSIU, Camila Rocha destacou ainda que “o evento foi um momento muito bom para se obter uma opinião de um especialista da área. Um encontro excelente!”, destacou a empresária.

Foram abordados também no Encontro, o controle de estoque como instrumento de gestão e competitividade, assim como o que as empresas deverão informar no Bloco K e que tipos de controle de estoques passarão a apresentar ao Fisco, além dos impactos na fiscalização e providências a serem tomadas.

Use Ctrl + nº da tecla

Ctrl + 1 (menu) Ctrl + 2 (conteúdo) Ctrl+ 3 (busca) Ctrl + 4 (Rodapé) Ctrl + 5 (mapa) Ctrl + 0 (acessibilidade)



Original

Contraste